Testemunho de Vocação – Antonio Carlos

07/04/2017

Graça e Paz amados! Me chamo Antonio Carlos dos Santos Vale, sou membro da Comunidade Católica Presença. Conheci a comunidade em Marabá/Pará.

Tudo começou em 2015 no vocacional daquele ano , ao iniciar esse vocacional eu tinha a certeza de que eu era chamado por Deus à comunidade como missionário de aliança, estava no quarto semestre do curso superior de licenciatura em Educação Física, e já tinha tudo organizado para começar a dar aula em uma escola, onde um professor de natação estava precisando de um estagiário, e eu já via como uma oportunidade de crescer dentro da profissão, esses eram os meus sonhos, em dezembro daquele ano, lembro certinho como se fosse hoje a passagem bíblica lá em êxodo capítulos 3 e 4, que nos fala da vocação de Moisés, onde Moisés por medo deu ao Senhor mil desculpas para não atender ao seu chamado, é interessante nessa ocasião que era o último encontro vocacional, Deus me falava que me queria como comunidade de vida, isso Deus me falou após a primeira pregação, na segunda que foi essa passagem de Moisés, Deus me mostrava que também eu estava pondo obstáculos, desculpas, quanto medo eu sentia, dúvidas me vinham a mente, meus sonhos que eu teria que renunciar, amigos, família, e o mais doloroso de todos: viver totalmente da providencia de Deus, pois eu tinha tudo, morava com meus irmãos, mas tinha tudo o que eu queria, ia ao cinema toda vez que saia um filme que eu gostava, e Deus me incomodava, me pedia assim como pediu também a Moisés que eu fosse fazer o que Ele estava ordenando, caí em lagrimas quando por graça minha inteligência foi iluminada e pude fazer essa junção das desculpas de Moisés e as minhas, ali me rendi ao Senhor com muito medo do que viria pela frente. Terminou o vocacional dei meu sim para comunidade de vida.

Contudo, em janeiro fui visitar meus pais e informá-los de minha decisão, mas não tive coragem de dizer, o medo da reação deles foi mais forte que eu, lembro que o que contribuiu foi a minha infidelidade na oração diária, tenho certeza disso, a partir daí comecei a pensar em como seria difícil dizer isso aos missionários da comunidade, voltei à Marabá e no exato momento que cheguei e desci do micro-ônibus e estava indo em direção a minha casa meu celular tocou e era os missionários me ligando querendo saber como eu estava, pois tinha se passado um mês que eu não entrava em contato com eles. Dessa forma, deixei minhas malas em casa e já saí, fui para a casa missionária, quando cheguei eles já notaram a diferença e eu também já mostrava que algo havia mudado. Conversa vai e conversa vem, tocaram no assunto e eu tive de contar que não seria mais comunidade de vida, todos ficaram tristes, e eu não estava em paz com essa decisão.

Após alguns dias eu me consagrei à comunidade como missionário de aliança, tudo foi maravilhoso, mas quando fui receber a medalha de Nossa Senhora das Graças, que é o sinal primeiro vínculo com a comunidade, lá no fundo Deus me falava que não era para ser aliança, que Ele me queria mesmo era na comunidade de Vida, doando minha vida totalmente pelo carisma Presença, terminou a missa fomos para a festa e tudo terminou bem.

Após um mês, em março de 2016, ao contrário do que eu havia feito em janeiro daquele ano quando fui visitar meus pais, eu estava firme na vida de oração, rosário, leitura orante da palavra, adoração diária, e foi assim que do dia de minha consagração até aquele dia Deus não me deixava quieto, havia dentro de mim uma inquietação, uma decisão que eu sabia que devia ter tomado e não tomei. Deus me incomodava pois me queria por inteiro.

Lembro que era uma quinta-feira de adoração na paróquia e fui pela manhã fazer minhas orações, ali caí em lagrimas, Deus falou comigo na passagem de Suzana lá no livro de Daniel capítulo 13, com essa história de Suzana, Deus me pedia para confiar Nele acima de tudo, pois Suzana preferiu a morte que pecar contra o Senhor, e Deus me pedia essa mesma fé Nele que Suzana teve, mas uma vez como diz uma música que se chama Vontade de Deus, “Quem pode lutar contigo”, eu fui tomado por uma força que me fez sair dali e ir falar com o coordenador da missão em Marabá e dizer que eu queria me tornar missionário de Vida, Ele me questionou se era isso mesmo que eu queria, e eu reafirmei que era isso mesmo que eu queria, daí ele informou a fundadora da comunidade, que acolheu o desejo do meu coração.

Com isso, vinha a segunda parte, que era contar para os meus pais, foi uma conversa muito difícil para mim, pois eu não queria desagradá-los, mas falei, chorei, mas sabia que era essa a vontade de Deus para mim, tranquei a faculdade, meus amigos ficaram sem acreditar, pois para alguns era loucura, maluquice de minha cabeça. Doeu para mim deixar todos os sonhos que eu queria realizar mas permaneci fiel. O que me vinha a mente era que Deus não iria me decepcionar, e por isso ficava mais tranquilo.

Em abril fui São Paulo conhecer a casa mãe da comunidade, fiz o retiro interno da comunidade e eu passei todos os dias ainda perguntando a Deus se ali era realmente o meu lugar, na missa de encerramento do retiro Deus confirmou que ali era o meu lugar através de uma música da banda Amor e Adoração que eu passei o dia todo escutando, e não havia me tocado como Deus é paciente.

Hoje estou aqui em São José do Rio Pardo/São Paulo morando na casa mãe da comunidade como missionário de vida já a 11 meses, e já vivi tanta coisa nesse tempo e posso dizer que o carisma Presença nos cura, pois o que mais eu experimentei e experimento é essa cura pelo carisma, onde Deus se faz presente na minha vida pela vida dos meus irmãos, teve dias em que eu queria ir embora da comunidade, mas ao refletir Deus me fazia lembrar de tudo o que Ele me prometeu e que por isso tive que recomeçar dia após dia, para não voltar atrás e contemplar Deus agindo na minha mentalidade e me fazendo crer que só por Ele aqui estou, que quando não consigo continuar Ele que me sustenta, e é nesta felicidade de saber que Deus me ama que confesso: Meu tesouro eu encontrei. Sou feliz, sou Presença. Amém.

Antonio Carlos

Missionário da Comunidade Católica Presença

Mais Recentes

CELEBRAR CATARINA DE SENA

Celebrar, vem do Latim CELEBRARE, “honrar, fazer solenidade”, é este o culto que queremos fazer neste dia a Santa Catarina de Sena.