3ª catequese 2018 do Papa Francisco

“Convertei-vos e acreditai no Evangelho» (Mc 1, 15). Assim — parecia dizer o Senhor — recebereis a paz que Eu vos concedo e estareis unidos na minha esperança. Eis, mais ou menos, o resumo desta minha viagem. Oremos por estas duas Nações irmãs, o Chile e o Peru, a fim de que o Senhor as abençoe.”

Em sua viagem apostólica ao Peru e ao Chile, o papa Francisco destacou alguma coisas, como para rezarmos pela paz do mundo, devido a tantas guerras e manifestações violentas que tem ocorrido pelo mundo. Em seu encontro com as autoridades do Chile encorajou o caminho da democracia chilena como sendo um espaço de encontro solidário e capaz de incluir as diversidades, e indicou para isso o caminho da escuta dos pobres, dos jovens, dos idosos, dos imigrantes e também da escuta da terra.

No Chile, o papa chegou a visitar um presidio feminino em Santiago, exprimiu palavras de encorajamento para as presas para que exijam de si e das instituições, um sério caminho de preparação para a reinserção, como horizonte que dá sentido à pena quotidiana. E destacou que a reinserção social deve acontecer para que a prisão não seja uma tortura infinita. O pontífice celebrou uma missa junto aos índios da região lançando um apelo a favor de uma paz que seja harmonia das diversidades e da rejeição de toda a violência. Com os jovens lançou a pergunta de Santo Alberto Hurtado: “Que faria Cristo no meu lugar?”, e propôs aquela Universidade Católica um modelo de formação integral, que traduz a identidade católica em capacidade de participar na construção de sociedades unidas e plurais, onde os conflitos não são ocultados, mas geridos no diálogo.

No Peru, o Papa destacou sobre os falsos sinônimos união e uniforme, dizendo que união não são todos serem iguais; mas em toda a riqueza das diferenças que herdamos da história e da cultura. Encontrando com as autoridades políticas e civis do Peru, apreciou o patrimônio ambiental, cultural e espiritual daquele país e pôs em evidência as duas realidades que mais gravemente o ameaçam: a degradação ecológico-social e a corrupção. E gritou: Não a corrupção! A corrupção, de acordo com o Papa, arruína os corações.

Como sempre, a palavra de Jesus dá sentido pleno a tudo, e assim também o Evangelho da última celebração eucarística resumiu a mensagem de Deus ao seu povo no Chile e no Peru: «Convertei-vos e acreditai no Evangelho» (Mc 1, 15). Assim — parecia dizer o Senhor — recebereis a paz que Eu vos concedo e estareis unidos na minha esperança. Eis, mais ou menos, o resumo desta minha viagem. Oremos por estas duas Nações irmãs, o Chile e o Peru, a fim de que o Senhor as abençoe.

Resumido do texto original (Fonte: http://w2.vatican.va/content/vatican/pt.html)

Mais Recentes

CELEBRAR CATARINA DE SENA

Celebrar, vem do Latim CELEBRARE, “honrar, fazer solenidade”, é este o culto que queremos fazer neste dia a Santa Catarina de Sena.