Jesus é o rosto da misericórdia do Pai

Com esta frase, o papa Francisco inicia a bula de proclamação do Jubileu Extraordinário da Misericórdia. Desta forma, aprendemos que é possível ver, sentir e ser tocado pela Misericórdia, pois em todas as ações de Jesus vemos a misericórdia do Pai. A misericórdia é o caminho que une Deus e o homem, é sempre assim que Deus vem ao nosso encontro.

O papa Francisco nos diz: “quanto desejo que os anos futuros sejam permeados de misericórdia para ir ao encontro de todas as pessoas levando a bondade e a ternura de Deus! A todos, crentes e afastados, possa chegar o bálsamo da misericórdia como sinal do Reino de Deus já presente no meio de nós”. Através da misericórdia, vemos toda manifestação do amor de Deus. Quando falamos em Ano da Misericórdia, entendemos que, de maneira muito especial, Deus vem manifestar todo Seu amor como sempre o faz, porém, de maneira ainda mais intensa, pois Ele estará derramando seu manancial de amor abundante sobre todo o seu povo.

Ano da MisericórdiaSomos convidados a conhecer mais sobre este poder da misericórdia de Deus que tudo vence, enche o coração de amor e consola com o perdão. Quando olhamos para algumas realidades desse tempo, vemos o quanto é necessário repetir o que Papa João Paulo II dizia: “Há uma urgência de anunciar e testemunhar a misericórdia de Deus. (…) É tempo de regresso ao essencial, para cuidar das fraquezas e dificuldades dos nossos irmãos. O perdão é uma força que ressuscita para nova vida e infunde a coragem para olhar o futuro com esperança”. Precisamos levar muitos irmãos a encontrarem-se com a misericórdia!

“Sede misericordiosos como vosso Pai é misericordioso” (Lucas 6,36). Quando o papa Francisco fala sobre o tema, ele aponta um programa de vida, partindo de escutar a Palavra de Deus, recuperar o silêncio, meditando esta palavra que nos é dirigida. Se assim fizermos, será possível contemplar a misericórdia de Deus e assumi-la como estilo de vida. Que maravilha será! Com toda certeza, vamos assumindo um novo estilo de vida e isso marcará a humanidade.

Devemos ser misericordiosos, mas como o Pai. Este é o apelo do papa Francisco, pois o Pai dá tudo de si gratuitamente. Por isso, temos um desafio como Igreja de “cuidar das feridas de nossos irmãos, de aliviar com o óleo da consolação os desconsolados, de enfaixá-las com misericórdia e tratá-las com solidariedade”. Uma maneira prática de realizar ações tão ricas como essas são as obras de misericórdia corporais: dar de comer aos famintos, dar de beber aos sedentos, vestir os nus, acolher os peregrinos, dar assistências aos enfermos, visitar os presos, enterrar os mortos. Ou ainda as obras de misericórdia espirituais: acolher os indecisos, ensinar os ignorantes, admoestar os pecadores, consolar os aflitos, perdoar as ofensas, suportar com paciência as pessoas, rezar a Deus pelos vivos e os defuntos.

O Senhor nos conduza a viver um novo estilo de vida: o “estilo da Misericórdia”.

Deus abençoe!

Lucimar Maziero

Fundadora da Comunidade Católica Presença

Mais Recentes

CELEBRAR CATARINA DE SENA

Celebrar, vem do Latim CELEBRARE, “honrar, fazer solenidade”, é este o culto que queremos fazer neste dia a Santa Catarina de Sena.