SEMANA SANTA: Como viver bem?

Olá irmãos, graça e paz!

No dia 14 de Abril deste ano, nossa Igreja inicia com o Domingo de Ramos a caminhada intensa para a Páscoa, a Semana Santa ou Semana Maio. E para que você e sua família possam vivê-la bem, aqui estão algumas informações de significação importantes para nós católicos:

  • DOMINGO DE RAMOS – celebramos a entrada de Jesus em Jerusalém montado em um jumentinho, expressando a humildade e pequenez. É aclamado pelo povo que O reconhece como “Àquele que vem em nome do Senhor”, o messias que os antigos profetas anunciaram. Os ramos bentos que levamos para nossas casas, nos recordam que estamos unidos a Cristo na luta contra o pecado, em direção ao Calvário que nos levará à Ressurreição. A procissão de Ramos lembra-nos que somos peregrinos que caminhamos rumo à pátria celeste, à eternidade.
  •  SEGUNDA-FEIRA SANTA – neste dia o Evangelho proclamado é segundo São João. Seis dias antes da Páscoa, Jesus chega à Betânia para despedir-se pessoalmente de seus amigos mais próximos, pois está a pouquíssimos dias da consumação de sua oblação total.
  • TERÇA-FEIRA SANTA – a mensagem principal deste dia alcança à Última Ceia, pois o Evangelho proclamado é uma antecipação da Quinta-Feira Santa, onde Jesus anuncia a traição de Judas e a negação de Pedro.
  • QUARTA-FEIRA SANTA – a Liturgia deste dia destaca a amarga traição de Judas, que representa todas as forças do mal que influenciam no nosso pecado, que na prática se opõem aos planos de Deus O traindo em nós.
  • QUINTA-FEIRA SANTA – o centro da celebração neste dia é dividido em quatro vertentes: a bênção dos Santos óleos, a instituição da Eucaristia, do Sacerdócio Ministerial, e o Novo Mandamento do Amor (lava-pés).
  1. Uma das cerimônias litúrgicas deste dia é a Bênção dos Santos Óleos, usados durante todo o ano pelas paróquias: o da Crisma, o dos Catecúmenos e o dos Enfermos.
  2. A Eucaristia é o Sacramento Memorial Perpétuo das maravilhas de Deus realizadas por Jesus. Ele dá um sentido novo à Páscoa e atualiza a libertação da escravidão, a do povo de Israel que saiu do Egito; e a nossa, quando nos liberta de nossos pecados.
  3. Quando Jesus ordena aos seus discípulos “Fazei isso em memória de mim”, e que repetissem essas suas palavras e esse seu gesto (da última ceia) de geração em geração até a sua volta, os constitui sacerdotes do Novo Testamento, e todos aqueles que o fizerem participando ministerialmente, até a sua volta.
  4. No Evangelho, Jesus lava os pés dos discípulos, esse gesto é chamado “Mandatum” (mandamento). Este mandamento do Amor Fraternal compromete todos os discípulos de Jesus, inclusive a nós, sem qualquer distinção ou exceção. Pois deixou claro que se fez servo, e que nós devemos ser servos uns dos outros. Esse servir é uma expressão do Amor, do Perdão e do Ajudar.
  • SEXTA-FEIRA SANTA – a celebração deste dia apresenta o incomensurável sofrimento e morte do Filho de Deus no Calvário. Com a Paixão de Jesus Cristo narrada no Evangelho de São João, contemplamos o mistério da crucificação ao lado de sua mãe dolorosa e do discípulo amado. A Santa Cruz é apresentada de modo solene à comunidade, para que possamos adorá-la e venerá-la.
  • SÁBADO SANTO – a Igreja permanece fechada junto ao sepulcro do Senhor. Meditamos sua Paixão e Morte, Sua descida à mansão dos mortos, esperando em oração e jejum a Sua Ressurreição. Temos cinco elementos sagrados na vivência espiritual deste dia: Vigília Pascal e Celebração Da Luz, Bênção do Fogo Novo, Procissão do Círio Pascal, Proclamação da Páscoa, e Liturgia da Palavra.
  1. A Celebração da Luz acontece à noite, é uma vigília em honra ao Senhor, e pela exortação do Evangelho, temos as luzes acesas aguardando o Senhor chegar para que nos encontre à sua espera, e nos convide a sentarmos em sua mesa.
  2. Em um lugar à parte, prepara-se uma fogueira, a assembleia se reúne ao seu redor e o sacerdote abençoa o fogo novo. O Círio Pascal é apresentado ao sacerdote que faz uma cruz nele com um estilete e pronuncia as palavras sobre a eternidade de Cristo. Expressa assim por meio de gestos e palavras toda a doutrina do Império de Jesus sobre o cosmo, pois nada escapa da Redenção do Senhor, e tudo (homens, coisas e tempo) estão submetidos a Seu Senhorio.
  3. Na Procissão do Círio Pascal as luzes permanecem apagadas, o diácono toma o Círio e proclama “Eis a Luz de Cristo!”, os fiéis respondem “Demos graças a Deus!”, e acendem suas velas no fogo do Círio, que representa o Cristo Ressuscitado, a Coluna de Fogo e de Luz que nos guia pelas trevas.
  4. Para a “Proclamação da Páscoa” assembleia permanece de pé com as velas acesas, o presidente da Celebração incensa o Círio, e a Páscoa é Proclamada, o hino de louvor anuncia a Alegria da Páscoa (no Céu, na Terra, na Igreja, e da Assembleia dos Cristãos), que provém da vitória de Jesus sobre as trevas, e as velas são apagadas.
  5. As leituras da Liturgia desta noite percorrem o antigo e o novo testamento, recordando desde a criação do mundo, a libertação do povo judeu (Páscoa dos Judeus), até Jesus Cristo que é o cumprimento de todas as profecias.
  • DOMINGO DE PÁSCOA – é o dia santo mais importante da nossa Igreja, é a Festa que resignifica a nossa fé. Do hebreu “Peseach”, Páscoa significa a passagem da escravidão para a liberdade, fazendo alusão à libertação do povo hebreu da dominação do Egito; atualizado para nós na Pessoa de Jesus, a redenção dos nossos pecados.

            Agora que já conhecemos um pouco mais sobre a Semana Santa, você e sua família estão convidados pelo próprio Senhor, a participarem com muita devoção de cada dia desta semana iluminada que trás sentido à nossa fé, e juntos podermos proclamar em um só coração, o grande “Aleluia” da Páscoa de Nosso Senhor Jesus Cristo.

Abraço Fraterno!

Cristiane Carneiro Marques – Missionária da Comunidade Católica Presença

Mais Recentes